Cardiologia Geral Pronto-Socorro Você sabia?

Como saber a polaridade do QRS na avaliação das taquicardias ?

Figura 1

Foto 2

Na abordagem das taquicardias do QRS largo é muito comum ficarmos na dúvida de qual a real polaridade de um QRS, que muitas vezes encontra-se em apresentações bizarras. A determinação dessa polaridade, tem implicações diagnósticas importantes, haja vista que utilizamos a morfologia das ondas nos diversos critérios diagnósticos para diferenciar uma Taquicardia de origem ventricular x Taquicardia supraventricular com condução aberrante.

A forma para fazer isso é bastante simples: basta que você veja para que sentido esta apontado o ângulo agudo do QRS. A direção do ângulo representa a direção vetorial do QRS resultante, por isso, tomando o exemplo da figura 1, podemos ver que o angulo do QRS agudo é voltado para ‘baixo’. Portanto, em V1,V2 (ampliado) e V3 temos complexos de padrão qS ( ‘negativos’).
Já no exemplo da figura 2, logo abaixo, observando também em V1, V2 (ampliado) e V3, podemos notar que o ângulo agudo formado aponta para cima, portanto estamos diante de um R puro com entalhe (‘positivos’).

Sobre o Autor

Daniel Valente

Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Ceará. Médico com residência médica em Clínica Médica pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e em Cardiologia Clínica pelo Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (InCor-HC-FMUSP). Instrutor ativo do curso de ACLS pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (sede SP) e pesquisador colaborador junto ao grupo MASS.

Deixe um comentário